segunda-feira, 18 de julho de 2016

Malásia: Ilha Langkawi 2

Continuando nossas postagens da viagem…
 
20150620_201348Símbolo da ilha de Langkawi
 
Langkawi, uma ilha na Malásia que é praticamente “fronteira” com a Tailândia,  recebe muitos velejadores por conta de suas ancoragens seguras (fundo areia e lama firme), pelo porto ser livre de impostos (fácil de trazer materiais de reposição de outros países) e comida barata (restaurantes/supermercados). Têm marinas com preços em conta para quem quer deixar seu barco e voltar aos seus países de origem por muito tempo ou por poucos meses para viajar de avião aos países vizinhos como Vietnã, Laos etc…
 
20150622_170500
 
20150617_162240

20150617_162233Vista do Iate Clube de Lagkawi
 
A Tailândia só dá 30 dias de visto para nós velejadores. Então, a maioria dos velejadores ficam no vai e vem entre a Malásia (que dá visto de 90 dias) e a Tailândia (só 30 dias). E ficam nesse vai e vem por anos! Conhecemos um australiano que havia ficado pela região por 14 anos por causa do combo BBB: Bom, bonito e barato.
O chato é que existe uma comunidade náutica que se faz dona da área. Todos os veleiros que chegavam de fora não eram bem recebidos. Uma vez fundeamos e o capitão do veleiro a nossa frente (que já havia até instalado uma poita para marcar o seu lugar) fez cara feia. Quando saímos com o bote ele ficou encarando. Fausto que não leva desaforo pra casa foi perguntar qual era o problema. Sabem o que ele respondeu? – Não gosto de veleiro grande fundeado perto do meu! Ai , ai, ai. Resumindo: Entrou com o rabinho entre as pernas para sua cabine e ficou com as orelhas ardendo por um mês! Quanta cara de pau, quanta arrogância!
 
20150520_163119

Deixávamos o nosso bote em um píer público que custava uns R$ 3 por dia onde o cobrador só trabalhava das 10:00 as 14:00, antes e depois desse horário, não se pagava. Os botes dos velejadores ficavam um ao lado do outro junto com barcos de pesca.  Um local super seguro.  Os maláicos se orgulham da sua segurança. Daí um velejador chegou e colocou o cadeado no bote preso ao píer.  A administração do píer me perguntou se eu conhecia o dono do bote com cadeado,  ele seria convidado a se retirar por desconfiar dos locais. Prender o bote com cadeado era uma ofensa! Na hora até defendi o velejador. Disse que provavelmente não era desconfiança dos nativos e sim de outros velejadores. Galera, o que têm de velejadores ladrões por aí, não tá escrito. Muitas vezes nos protegemos dos nativos e esquecemos que a pessoa no veleiro vizinho pode ser o inimigo. Olhos abertos sempre, com os ladrões e com os pirajás fortes que entravam quase todos os dias por lá!
 
20150526_160321
 
20150615_171009

Em um desses pirajás esse catamarã foi parar na praia. Teve sorte de não ter parado nas pedras.
 
20150531_181541
 
20150531_181739
 
Essa área onde ficamos ancorados era muito bem localizada. Havia uma praça belíssima por onde passei momentos de tranquilidade ouvindo passarinhos cantando. Fausto caminhou muito pela ilha e disse também de ouvido e visto muitos pássaros. Uma ilha bem preservada.
 
20150513_153301
 
Perguntei em inglês: – Moça, você têm batom vermelho?
Daí a vendedora trouxe um batom vermelho escuro.
- Não obrigada, eu quero um vermelho claro. Traduzindo ao pé da letra, ligth red. A vendedora não entendeu.
Tentei um vermelho aberto (e ainda fazia os gestos de “abrindo” alguma coisa).
Hahahahaha, você quer um chili red ou vermelho pimenta. Palmas para vendedora!!!
E assim, sempre com um sorriso no rosto, levamos nossa vida com o bad English, mas que no final das contas sempre deu certo!
 
20150513_153528
 
Lá vem historinhas, vocês gostam né?! rsrsrs
Um dia fui em uma loja de conveniência chinesa bem pertinho do porto. Uma única atendente no caixa, mas super ágil. Só que, um cliente se enrolou na hora de passar o número de telefone para recarregá-lo com créditos. E nisso a fila não andava. Pois bem, um velejador (o conhecia da ancoragem)que estava atrás de mim, passou na frente de todo mundo, jogou o dinheiro referente ao valor de um papel higiênico EM CIMA da caixa e foi embora. Uma cena horrível! A moça ficou transparente. Em uma hora dessas a gente fica sem reação, mas consegui gritar estúpido, em inglês, claro. O velejador que estava saindo pela porta parou e me encarou, mas eu olhei para ele com tanta raiva que sinceramente, estava preparada para sair na porrada com o mal educado que tinha quase dois metros de altura. Ele desistiu e se foi. Nesse tempo a moça passou mal, de verdade (a pressão dela caiu)e os outros clientes ficaram revoltados. Pensaram até em chamar a polícia. Contando o caso ao Fausto, chegamos a conclusão que o velejador deveria estar com dor de barriga ou coisa parecida para chegar a furar a fila para comprar somente um papel higiênico. O que não lhe dava o direito de tratar mal a funcionária. Pode parecer frescura a moça ter passado mal, mas na Malásia o povo é tranquilo, de fala baixa, passam serenidade entendem? Não estão acostumados com agressividade.
Lembram que citei um problema que tivemos com nossa antena de GPS desde Bali? A antena queimou, nossa antena de reserva queimou também, compramos uma nova em Singapura que também foi pro brejo! Só em Langkawi é que conseguimos um técnico em eletrônica que viesse ao barco tentar descobrir qual era o problema. Paul, um chinês tranquilo, veio a bordo e futucou, futucou, não encontrou o defeito e ficou de enviar um e-mail para a GARMIM, marca do nosso charterplotter/GPS explicando o problema.
Bem, esperamos duas semanas pelo retorno. Um dos motivos da demora? Paul Estava preso. O governo da Malásia mandou prender todas as pessoas que tinham multas de trânsito não pagas. No caso do Paul, ele nem se lembrava de ter sido multado. Mais de 10 mil pessoas foram presas em toda a Malásia. Antes, cada uma recebeu uma carta para se entregarem ou seriam caçadas pela polícia. Paul se entregou, ficou três dias preso e mesmo pagando a multa, foi a julgamento. Orientado por um advogado a assumir a culpa por esquecimento, foi absorvido depois de pagar uma fiança. Só que lá não existe máfia do governo na fabricação de multas. O Paul realmente havia cometido uma infração de trânsito. Parece que o governo Malaico faz essa “limpa” de três em três anos. Nem vou fazer comparações, é só para vocês terem uma noção de como a lei funciona por aquelas bandas.
Demorou, mas o Paul acabou descobrindo que a antena que usávamos havia sido descontinuada por um defeito de fábrica. A GARMIM lançou uma antena nova com o problema resolvido só que “esqueceu” de avisar aos clientes e aos técnicos. Encomendamos uma antena atualizada e a dor de cabeça foi embora. Amém!
Enquanto estávamos com o problema no charterplotter usamos o programa Navionics no IPAD que funcionou perfeitamente.
 
20150525_180157-1

20150606_032042Sim! Experimentei a burca, uma vez para nunca mais. É muito, muito quente!
 
20150515_192407
 
20150520_165249
 
20150520_165259Invenções…
 
20150526_123902
Não encontrávamos carne de boi para comprar, então nossas refeições sempre tinha frango.
 
20150530_105636
Havia um posto de combustível flutuante para barcos, mas o mais barato era utilizar o serviço desse senhor que trazia diesel de postos em terra.
 
20150513_204321
     Moda local: Todo mundo tinha essa bolsa do gato com cara de malvado.
20150606_030450
Coco preto, a cor e gosto da água lembra caldo de cana
 
20150606_025137
Sorvete frio, Fausto experimentou e gostou.
 
Alugamos uma moto decididos a dar a volta na ilha. O passeio foi legal, mas a única coisa que consigo me lembrar agora foi da dor na “poupança” que sofremos. Porque ninguém diz em lugar nenhum o quanto andar de moto quebra a gente por inteiro? Dói tudo gente. Bunda, pernas, coluna, pé. Fausto parava a moto para nos alongarmos. Então, fica registrado: Quem não está acostumado andar de moto, dói pra caramba!
 
20150615_123546
 
Seguem vídeos que fiz por lá. Já postei no youtube há mais de um ano, mas um amigo me disse que só sabe acessar os nossos vídeos quando eu posto por aqui, ele não sabe entrar no youtube. Como provavelmente existem outros iguais a ele...
 
 
 
 
 
 

domingo, 3 de julho de 2016

Novos aventureiros do mar para vocês acompanharem

Oi oi oi povo do mar, tudo jóia?!

Pessoal, hoje quero indicar novos blogs , canal no youtube, instagram de velejadores que estão começando a viajar pelo mundo. Eu adoro acompanhar viajantes do mar e acho que não somos devidamente divulgados. Essa semana recebi uma sugestão do youtube de um vídeo feito por um canal de TV brasileiro sobre uma família com duas crianças viajando de veleiro pelo mundo. Só que os velejadores são estrangeiros. Nós, capixabas, terminamos nossa volta ao mundo no Espírito Santo e nenhum canal de comunicação veio falar conosco (mesmo sendo avisados), mas uma semana depois, lemos a matéria de uma página inteira no jornal de maior circulação da capital,  sobre um argentino que havia chegado ao estado de bicicleta. Não desmerecendo o feito dos estrangeiros, mas tem muito brasileiro se aventurando, fazendo bonito de tudo quanto é forma por esse mundão e os meios de comunicação nacionais teimam em valorizar somente o que é de fora.

E agora senta (ou foge) que lá vem história:

O casal Daniel, um argeleiro (argentino/brasileiro, inventei agora)é casado com a Frederica, que não gosta do nome e prefere ser chamada de Drica. Eu amo o nome Frederica, mas não posso falar nada porque me chamo Maria Augusta, nome que geralmente todo mundo gosta, mas prefiro ser chamada de Guta. Sim, sou doidinha mesmo Winking smile

Conhecemos o casal de Maceió no Caribe com um veleiro monocasco de 30 pés. Eles se revezavam entre Caribe e Maceió onde voltavam para trabalhar, até decidirem mudar de vida. Compraram um catamarã de 38 pés no Caribe e agora estão morando de vez por lá, fazendo charter em San Blás no Panamá. Com o lema: “Todos podemos viver um sonho” são um belo exemplo para quem planeja se mudar para o mar e viver dele.

Facebook: SailingSur

Instagram:@sursailing

Site: Sailingsur Blog

13150757_619123348263648_1436483013_n

12269975_1662055604049943_1779028383_n

12407172_1670393963213703_329562745_n

12917795_264137187258104_616762694_n

Conhecemos o casal Leonardo e Daiane em Natal, há uns cinco anos. Ela estava com a Lara bebezinha e havia acabado de descobrir grávida do fofo Téo, que conhecemos pessoalmente semana passada. O Léo é médico e a Daiane enfermeira e se conheceram no trabalho no interior da Bahia. A história de amor deles é linda, mas não vou contar mais nada rsrsrsr

Moram há anos a bordo do veleiro Leoa. Novamente participarão da REFENO, depois subirão para o Caribe e de lá pretendem fazer a rota do Atlântico. É super interessante para quem quer saber como criar filhos a bordo de um veleiro. A Daiane me contou várias curiosidades sobre as crianças. Ela geralmente fica mareada, mas as crianças não, e navegando, elas abrem o apetite que chega a assustar! “ Mãe, tô com fome!” por mais mexido que o mar esteja, eles querem comer toda hora! 

Facebook: Veleiro Leoa

Blog: Veleiro Leoa Blog

13466523_1693152044279750_9221917976659043657_n

1385474_507555356006800_358210031_n

12974499_978028272292837_1355678597318324319_n

376078_132407460201935_389979350_n

A família do catamarã Itacaré, conheci a pouco tempo, quando a Raquel entrou em contato enviando essa mensagem  carinhosa: “Guta, muito obrigada por inspirar a gente com seus divertidos vídeos. Você fazia parte do nosso café da manhã. Era o horário que a família assistia os seus vídeos. Um grande beijo e tudo de bom. Torcendo para um dia a gente se encontrar!” #quasechorei.

Entrei no blog correndo e amei e a história do casal. Eles estão escrevendo tim tim por tim tim a transição de terra para o mar. Como escolheram o catamarã, também comprado no Caribe etc… Embarcarão para Aruba, onde o barco está e de lá começarão as aventuras. Criaram um canal no youtube (ainda vazio) onde pretendem fazer vídeos e mostrar a viagem na visão dos dois filhos, Bruno de seis anos e Lucca de oito. O que eles podem ganhar ou perder com a experiência vivendo a bordo. Além do canal no Youtube os dois também escrevem no blog. Muito fofo gente!

Facebook: Itacaré Sailing

Instagram: @itacaresailing

Blog: Itacaré Sailing blog

13381366_1717962438486154_1499637875_n

13116677_1707548352867645_2079335784_n

13257164_1099301786800679_452249235_n

13320085_1100991969965273_63403132_n

Veleiro Alaússa: O Leandro também entrou em contato comigo. Na época ele morava na Alemanha e estava se decidindo por qual veleiro comprar. Mesmo com a minha lábia, não o convenci de comprar um catamarã (não se pode ganhar todas hahaha). Ele e um amigo, ambos brasileiros acabaram comprando um veleiro alemão, que estava nos EUA e tiraram um tempo do trabalho para realizar o sonho da volta ao mundo velejando. Agora estão pelo Caribe e os caras fazem uns vídeos com edição de cinema! Quando crescer quero ficar fera na edição igual a eles. Com o sotaque pernambucano que é pura simpatia, belas imagens e aventuras dá gosto assistir!

Facebook:Projeto Alaússa

Youtube:Alaússa Youtube

Site: Alaússa site

13414249_621159588053000_2032804070_n

13108835_1596870330628012_1513585352_n

13166712_1029010300517804_1925619778_n

13102514_125936664481527_1081463069_n

Essas duas últimas fotos chegam a machucar as vistas não é?! E não é água de piscina é a cor do mar das Bahamas.

Como dizem os pernambucanos, pronto, acabou-se!

Espero que gostem dos indicados. Curtam, compartilhem, inscrevam-se no canal. Vamos apoiar os brasileiros gente!!!

E nas nossas redes sociais, vocês já se inscreveram? É só apertarem o dedinho AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e AQUI Smile

Até a próxima,

Guta

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Novo site: Brasil sail charter

Estou morrendo de rir e escrevendo esse post ao mesmo tempo. Acabei de fazer um bolo de fubá. Daí Fausto perguntou: – Guta, é bolo de milho? – Nãaaao é bolo de fubá Fausto! – Fubá é soja por acaso Guta? Quando a ficha caiu, comecei a rir e não parei ainda. Ele está me zuando mas como explico que bolo de milho é uma coisa e bolo de fubá e outra?! Atividades cotidianas, a gente vê por aqui Smile

Já está no ar, já não, finalmente está no ar, nosso site só sobre o nosso trabalho de charter. Algumas pessoas reclamaram que estavam com dificuldades de encontrar informações sobre charter no nosso blog, que é uma bagunça, só entende quem nos acompanha há algum tempo. Coloquei a mão na massa e fiz um site simples, espero nos traga muitos frutos.

Pretendemos trabalhar até o verão aqui em Angra dos Reis e Paraty e o ano que vem subiremos a costa recebendo tripulantes nas travessias e para REFENO.
Acesse: BRASIL SAIL CHARTER para ver mais fotos e informações das diárias mais baratas da região. Compare com outros veleiros e depois venha correndo fazer sua reserva conosco hehehe

Charter TravessiaFoto travessia Vitória- Arraial do Cabo- Rio de Janeiro

Em Angra/Paraty trabalhamos com Live Abord quando os tripulantes dormem a bordo como se fossemos uma pousada e ou Day Charter, passeio de um só dia, para pessoas que não abrem mão de pousadas em terra mas querem passear pela baía com exclusividade.

Charter Reveillon 180Simplesmente AMO essa foto e essa família!

Day charter americanos
Day charter com um grupo de americanos.

Dê uma espiadinha!  Um curtir na nossa página no FACEBOOK e um seguir no INSTAGRAM seriam muito bem vindos, obrigada Smile

CONTATOS:
E-mail:gurucacat@hotmail.com
Tel/whatssap:(24)999654068

 

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Vídeo: Churrasco na praia da Tapera

Oi Gente,
A vida segue tranquila aqui em Angra dos Reis. Um frio do créu que me faz recordar a nossa estadia pela África do Sul. Tá frio, mas está sol, chovendo muito pouco. Agora raciocinando, coisa que raramente faço, o clima tá gostoso. Incrível como gostamos de reclamar da vida né?!
Semana passada, ou retrasada, nem sei mais, fomos a um churrasco na praia da Tapera, enseada do Sítio Forte, Ilha Grande. Esse churrasco rola todos os anos oferecido pelo Naudi e a Telma, que tem um bar nessa praia. Pense em uma sardinha frita espetacular e uma lasanha de filé de pescadinha que é de comer rezando!
 
20160612_140540
 
Não sei se é um pagamento de promessa, só sei que todos os anos, antes de tirarem férias, o casal dá um churrascão 0800 para todos os velejadores que chegarem a praia. Depois de quatro anos fora, não iríamos perder de maneira alguma.
 
20160611_123158
 
Esse é o primeiro dos vídeos que pretendo fazer sobre a nossa vida abordo aqui no Brasil. Já se inscreveu no nosso canal? Quem se inscreve assiste primeiro sabiam?
 
 
Desde já quero agradecer aos que nos assistem, que dão seus likes, que sempre estão nos enviando vibrações positivas. Obrigada pelas mensagens de apoio aos nossos novos projetos!
Olhem só um dos comentários que recebi pelo youtube:
“Sou criança, tenho 12 anos, meu sonho é dar a volta ao mundo e o legal é que com vocês fico aprendendo o tempo inteiro!!! Muito bom.”
Comentários como esse são incentivadores. É uma troca de incentivos! Toma lá, dá cá. Só que no bom sentido. 
Até logo,
Guta

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Novos projetos

Apareceu a Margarida olê olê olá … E aí povo do mar, tudo bem com vocês?

Gente, gente, minha vida tá uma coisa de doido. São tantos planos, projetos, que minha cabeça entra em parafuso e acabo não fazendo nada direito. Uma coisa que está me incomodando é ainda escrever somente sobre a nossa viagem sendo que estamos vivendo várias coisas legais que poderiam ser compartilhadas agora, no presente! Então, vou mesclar a viagem e o nosso dia-a-dia começando pelo post de hoje.

Estamos com o projeto de construir um novo catamarã também projetado/desenhado por Fausto. Mas para isso, pretendemos colocar o Guruçá Cat a venda. Ao mesmo tempo, enquanto o barco não é vendido temos que trabalhar né?! Então estou preparando um site e novas redes sociais para divulgarmos o nosso trabalho de charter em Angra e Paraty, vagas  para tripulantes subindo a costa até Recife e participarmos da Refeno (somente o ano que vem).

Também tem o livro. Um livro que eu nunca imaginei escrever, na verdade nunca imaginei que tivesse capacidade para tal coisa. Mas aí o povo começou a incentivar e pensando bem, realmente devo escrever um livro. Li o livro do Hélio Setti mais de 30 anos depois de escrito. O Hélio já não está em corpo nesse planeta mas ainda continua vivo pelas palavras. Então também quero me eternizar hahahaha.

A introdução já está mais ou menos pronta, spoiler, spoiler!

A vida é feita de sonhos. Quando Fausto me disse essa frase foi como se ele tivesse me enfeitiçado. Acho que me apaixonei por ele naquele exato momento. Uma frase forte que te pega pelo pé. Qual o seu sonho? Para alguns um apartamento em frente a praia, outros um carro importado ou um filho para a maioria das mulheres. Para Fausto morar a bordo de um veleiro em Angra dos Reis-RJ de maneira auto sustentável era um sonho. Entrei de carona e só joguei mais lenha na fogueira. Depois de muito trabalho, conseguimos construir nosso catamarã, morar a bordo em Angra e fazer charter, o que nos daria uma vida tranquila, mas quando sonhamos não paramos mais. A cada conquista, um novo sonho aparece. E para nós, o novo seria fazer uma volta ao mundo velejando.” 

Escrevi, mas como sou meio biruta posso reescrever e o livro só sair no ano de 2030.

E as palestras? Nos convidaram a palestrar no Rio Boat Show e só fomos graças ao patrocínio do irmão do Fausto, Edísio Pignaton. Ao contrário do que muita gente pensa, não ganhamos nada para dar a palestra no Rio Boat Show.

Terminamos a volta ao mundo em Vitória no Espírito Santo, nosso estado! Ficamos três meses com o barco no piscinão do Iate Clube de Vitória que nos recebeu de braços abertos e nos deu um apoio muito bom nesse tempo todo que ficamos por lá. Um obrigado especial ao Manoel Porto, diretor de vela do Iate Clube e ao Bruno Martineli skipper internacional que reside em Vitória.

IMG_3092

O único defeito da cidade: O pó de minério. Gente, olhem como nosso convés ficava:

20160212_094242

E as empresas mineradoras dizem que não são elas as responsáveis pelo pó. Já disse e repito, tem um vulcão ativo ainda não descoberto na ilha hahahaha (Vitória é uma ilha para quem não sabe).

Matamos as saudades da família, mas mesmo assim foi pouco, depois de quatro anos fora de casa.

Dei duas palestras para crianças em escolas públicas onde minha mãe trabalha como professora, em Vitória e na Serra. Quase não consegui terminar porque as crianças literalmente iam ao delírio a cada foto que eu mostrava. Ganhei tantos beijos e abraços, declarações do tipo: – Fiquei emocionado tia, quase chorei! Que dinheiro nenhum no mundo pagaria tanto carinho.

20160414_150821

Outra palestra bem legal foi no clube de vela de Vitória. A Cartiane professora de vela que me convidou, foi uma fofa e organizou um ambiente super legal na praia. Uma palestra luau. Foram servidos salgadinhos, sucos e frutas as mais de 100 pessoas que compareceram. Legal né? Eu achando que só iria meu pai, minha mãe, irmã e marinha. Fiquei surpresa.

20160418_200554

FB_IMG_1461182416124

O sonho havia se realizado e a moleza acabado. Voltamos ao batente! Fiz divulgações aqui no blog, pelas redes sociais e felizmente lotamos o barco na perna Vitória-Cabo frio-Rio de Janeiro. Um grupo com tripulantes de Brasília, São Paulo e Espírito Santo, foi show! O tempo também colaborou e voltamos ao trabalho com o pé direito.

IMG_3428

IMG_3422

No Rio de Janeiro fundeamos na Urca onde têm uma prainha que possibilita o embarque e desembarque com o bote, mas fizemos uma parceria com o Clube de regatas Guanabara onde poderíamos embarcar e desembarcar com o bote (pelo píer + seguro) em troca de uma palestra. Tenho que agradecer ao Fábio, mais conhecido como Mago da Foto que organizou tudo para nós no clube. A palestra também foi bem legal, novamente mais de 100 pessoas compareceram e algumas tiveram que ficar em pé!

20160503_144658

20160426_101321

Só um detalhe: Minha palestra, falando rápido, demora 2 horas. A maioria das pessoas ficaram até o final e ainda fizeram perguntas. Se ficaram ouvindo eu falar por duas horas, não deve ter sido ruim né?! hehehe

Do Rio de Janeiro a Angra fizemos outro charter com duas famílias de Niterói que quase nos mataram de tanto rir! Foi divertido demais da conta e ficamos com saudades.

20160508_181556

A vida aqui em Angra fica para o próximo post. Os vídeos também não vão parar. Demora mas sai hehehe .

Até mais,

Guta