sexta-feira, 5 de março de 2010

Desabafo

Nós não tivemos muita sorte no que se refere a MÉDICOS, aqui em Angra.

Há um ano Fausto fez uma cirurgia para retirada de um lipoma, pagando R$ 1.200,00 pela cirurgia, sendo que, quando chegamos ao hospital na hora marcada, simplesmente o médico havia marcado três cirugias para o mesmo horário, ou seja fomos atendidos por "ordem de chegada", um total absurdo. Fausto ficou desde o dia anterior de jejum, com a cirurgia marcada para as 14:00hs, sendo que só entrou no centro cirúrgico as 17:00hs. E depois de tudo pago o hospital não tinha nota fiscal para nos dar, somente um recibo sem timbre do hospital com a assinatura da própria atendente. Tivemos que ameaçar a chamar o diretor do hospital para recepcionista nos dar a nota fiscal, e ainda entregou uma nota que não tinha o nome do hospital e nem um carimbo. O que você pensa? Um hospital desse pode ser confiável?

Eu, quando estava investigando porque não conseguia engravidar, tive que fazer um  exame para verificar a parte interna do meu útero. Na primeira tentativa, sem anestesia (porque pelo médico, era só uma dorzinha de cólica), não consegui fazer o exame devido eu ter quase desmaiado de tanta dor. Na segunda tentativa com anestesia geral, eu tive que ser segurada por 3 pessoas (mesmo sedada) para a realização do exame. Quando acordei, estava com a cama cheia de sangue, e minha blusa, tinha sangue na altura do pescoço, só Deus sabe o que fizeram comigo. E para completar, quando levei o exame a minha médica no Rio (fiz o exame em Angra no único médico que fazia na região, devido a questões do plano de saúde, este exame particular custava R$ 1.500,00), ela disse que o exame estava péssimo, que quase não se via nada...

Bem, ontem mais uma vez necessitei de um médico, só que dessa vez na rede pública, e a história não foi diferente...

Eu fui  ao centro de Angra buscar o registro do barco na Marinha, que depois de quase um ano, e de eu ter ficado por uma semana das 8:15hs até as 16:00hs, no pé do tenente, o documento finalmente saiu!

Estava caminhando feliz da vida, fui ao cartório para autenticar uma xerox do documento, e quando eu estava indo a papelaria para plastificá-lo, eu senti uma forte dor de cabeça e uma pontada na barriga. Pensei eu ir logo a um banheiro. Mas nada, não era dor de barriga, o que também não fazia sentido pois eu não havia comido nada de diferente. A dor de cabeça passou, e eu continuei andando. Mas uns cinco minutos depois a dor de cabeça voltou muito forte, eu tinha vontade de gritar de tanta dor, sentia dor na região lombar, minhas pernas começaram a tremer e a sensação era que eu iria desmaiar. A minha pressão normal é de 11X7, e com qualquer coisinha ela costuma cair, mas a sensação que eu tinha era diferente de quando a minha pressão cai, eu estava toda mole, mas era diferente. Como nunca havia sentido coisa igual e não conseguia ficar de pé, esperei um pouco sentada ao um banco e quando a dor de cabeça passou um pouco, fui correndo ao pronto socorro.

Tinha uma fila enorme para o atendimento, e a recepcionista começou: Seu nome, endereço... Eu não conseguia ficar de pé (não tinha cadeira para se sentar enquanto fazíamos a ficha), então para não cair me sentei em um banco do lado de fora do pronto socorro, porque dentro estava lotado. Eu ouvi a recepcionista dizendo: Eu não vou lá fora não, se ela quiser ser atendida que venha até aqui! Eu juro que se tivesse forças eu teria mandado ela para PQP,  mas nem falar eu estava conseguindo. A dor de cabeça foi aumentando, agora com dores no corpo, e eu estava  toda dura. Eu ouvia as pessoas falarem para a recepcionista que eu deveria ir ao ambulatório (que ficava no segundo andar), mas ela respondeu: eu já avisei a médica e aos enfermeiros, a minha parte eu já fiz!

Depois de uns 10 minutos e eu só piorando, uma mulher com o marido me ajudaram a subir as escadas para a enfermaria, eu não pude agradecer, porque não conseguia falar, então apertei a mão dela, e ela sorriu.

Na enfermaria haviam 6 enfermeiras, sendo que 4 sentadas, sem fazer nada! Não me ajudaram a subir na maca (que é alta e não havia escada), eu estava de vestido e para me tapar coloquei minha bolsa. Só depois de uns 10' eles colocaram um lençol. Verificaram a minha pressão que estava 14X9, e disseram que estava normal, eu queria dizer que estava relativamente alta, comparado a minha pressão normal que é 11x7, mas não conseguia, eu tremia de tanta dor, e agora também de frio.

O senhor que estava com hipertensão ao meu lado, me disse: Não fique assustada não, aqui é assim mesmo, já estou até acostumado!

A enfermeira perguntou o meu nome, eu estava tentando dizer e ela disse: Qual seu nome? fala logo, se não falar eu não vou chamar a médica para te atender! Psicologia terrorista! Eu fiquei mais nervosa ainda, quase em pânico, tentado falar e não conseguindo, com uma psicopata daquelas me atendendo.

Uma das enfermeiras dizia: Puta merda, esse povo só vem pro médico na hora do nosso almoço, eu não vou enfiar comida goela abaixo por causa desse povo não!

Imaginem como me senti?

Respirei fundo, e liguei para o Fausto que estava em no barco trabalhando, e pedi para ele ir me tirar daquele lugar. Ele não sabia que eu estava no hospital (a recepcionista que ficou de avisar, mas não havia feito, o que era de se esperar...).

Quase uma hora depois de eu ter dando entrada no hospital, a médica veio me atender. Expliquei tudo, e ela somente de deu uns soquinhos na região lombar, explicou que por eu não estar com febre, minha glicose estar normal e minha pressão boa, eu devia estar com princípio de infecção, que existem um vírus novos circulando por ai, muito fortes. Ela me disse que  faria coleta de sangue para saber o que eu tinha. Eu disse a ela que estava com muito frio, e pedi um cobertor ( o que já havia feito as enfermeiras, mas era a mesma coisa que não falar com ninguém), com a médica não foi diferente!

Me deram duas injeções de bezetacil, e dipirona na veia. A enfermeira que veio coletar meu sangue, estava com dificuldades de perfurar a veia porque eu tremia de tanto frio e dor, termia mesmo, não conseguia controlar, ela disse que também estava com frio, e foi verificar o ar condicionado que estava no máximo. Mais uma vez a "enfermeira do povo" disse: Pode diminuir o ar condicionado, mas não vai desligar só por causa desse povo não, heim?! Nossa, eu me senti a pior pessoa do mundo!

Quando Fausto chegou, o frio já havia passado e a dor estava diminuindo, eu descasei um pouco e quando acordei e consegui ficar de pé, perguntei se poderia ir embora, e elas prontamente disseram que sim. Eu pedi que elas verificassem a minha pressão novamente, e uma delas respondeu que não precisava não porque minha pressão estava normal, eu expliquei que 14X9 não era normal para  mim, que estava alta, e com toda demonstração de má vontade ela mediu novamente e deu 11X9, agora sim estava normal!

Sai daquele lugar o mais rápido possível!

Hoje estou com um pouquinho de dor de cabeça, mas bem de leve e com uma molezinha no corpo. O que mais está doendo são as injeções....

Eu sou técnica em enfermagem, fiz estágio em vários hospitais na Grande Vitória - Espírito Santo e trabalhei por quase 1 ano em um hospital em Santa Tereza no interior do estado, trabalhava nesse hospital durante o dia e fazia faculdade a noite. Eu nunca vi tratamento tão ruim quanto os daqui. Sempre tratei meus pacientes com carinho, paciência, tanto que recebia muitos presentes como frangos, hortaliças etc.... Como era cidade do interior, com muitas comunidades de agricultores, era essa a forma de agradecerem, e ai se eu não aceitasse! Era uma cidade pequena, então todos me conheciam, e diziam: Essa menina é enfermeira, tão novinha, mas é muito boa, competente! Eu me sentia muito bem, importante!

Mas infelizmente, nem todos trabalham com dedicação e carinho. Algumas pessoas tem um emprego, e não um trabalho, no trabalho geralmente você faz o que gosta, e tenta fazer o melhor possível!

Pela nossa experiência, aqui em Angra os profissionais da saúde, foram sem ética, nos trataram com desprezo e com total falta de respeito! 

Guta

Comentários
3 Comentários

3 Comentários:

fernandinha disse...

NA PROXIMA, VC FILMA E MANDA O VIDEO PRA UMA EMISSORA DE TV.

pelomarafora disse...

Oi Fernandinha,
Seria mais um caso de maus tratos a pacientes...
Bjs,
Guta

Diogo disse...

Oi Guta.

Sou enfermeiro e infelizmente é esse tipo de "profissionais" que existem no mercado. Dou aulas e tento evitar que pessoas desse tipo cheguem ao mercado de trabalho.

Mas me sinto sempre como a tal andorinha única que sozinha não faz verão.

Me sinto envergonhado por isso ter acontecido. Me sinto triste por saber que essas pessoas trabalham na mesma área que eu.

Vergonhoso ver pseudo profissionais cuidando de gente como se cuidassem de sacos de batata.

Luto para mudar isso, mas preciso de ajuda...

Diogo - Amigo do Orkut

Postar um comentário

Estamos viajando e não temos uma conecção a internet fixa a bordo.
Por esse motivo, certamente seu comentário demorará a ser postado, poderá não ser respondido, mas será lido.
Se ainda assim, quiser comentar fique a vontade!