terça-feira, 26 de outubro de 2010

Voltei!!!

Olá pessoal,

Depois de umas férias merecidas em Salvador e na Chapada Diamantina, estamos de volta!

Nosso objetivo agora é fazer os devidos REPAROS no Guruçá Cat e voltarmos para Angra para mais um ano de trabalho, agora fazendo charters.

Por que reparos?

Depois que colocamos o barco na água, começamos a fazer as instalações elétricas e eletrônicas suficientes para a viajem "teste" até Recife, onde participaríamos da regata Recife x Fernando de Noronha.  Em uma baía como Angra dos Reis, só nos era possível fazer testes com os equipamentos eletrônicos (GPS, piloto automático, ..., etc..) e com a comodidade dos equipamentos mecânicos (posição de catracas, stoppers, ..., etc..). Para testar a estrutura do barco, mastro, cabos de aço, ..., etc.. Somente navegando em mar aberto e mesmo assim por muitos dias seguidos. Daí, o motivo para seguirmos de Angra até Recife direto.

A viajem foi difícil, somente vento contra (contrariando a previsão do tempo). Fomos no motor, "batendo um pouquinho". Quando o vento é contra, e com ondas contra, fazendo uma comparação, é como se passássemos em uma rua cheia de quebra-molas, com o vento fraco e ondas pequenas, quebra-molinhas, mas quando o vento é forte e ondas grandes, quebra tudo!

Resumindo o acontecido: Batemos em uma baleia quando atravessávamos no Cabo de São Tomé. Passamos por uma situação difícil, sem um dos motores, sem leme e sem a vela grande, mas conseguimos chegar a Vitória. Encalhamos o barco em Vitória, fizemos os reparos e seguimos para Recife.

DSCF3980Barco encalhado em Vitória 

DSCF3965     DSCF3969  Pé de galinha empenado na popa do casco de BE. O eixo original ficou em forma de L com o hélice também empenado. A pancada foi tão forte que tirou nosso cilíndrico hidráulico e o motor do lugar.

Entramos em Caravelas para abastecer o barco e na saída por uma manobra errada, o traveller da retranca se soltou e os moitões da cana do mastro se quebraram. Voltamos a Caravelas e consertamos.

DSCF3985 Resultado do vacilo: Traveller da retranca solto.

Entramos  em Salvador novamente para abastecer e trocar um carrinho da vela grande que havia quebrado no pouco tempo que usamos a vela. Quando Fausto subiu para trocar o carrinho, viu uma fissura no mastro. Que posteriormente constatamos que era somente na fibra de carbono devido ao esforço lateral.

Em Salvador, verificando os porões, descobrimos outra pancada da baleia na proa do casco de BB, que pensávamos ter sentido somente na popa do casco de BE.DSCF4148A pancada da baleia no casco de proa BB: Quebra da escoa e laminado.

Devido a essas "novas descobertas", pelo risco a tripulação e ao barco optamos por não participar da REFENO.

O lado bom da história, é que sabemos que o barco está super forte, levinho, que navega bem. O pouco que velejamos foi no segundo rizo na orça com 28° com relação ao vento aparente de 10 a 12 nós, e o barco desenvolveu 8/9 nós.

A pancada da baleia na proa do barco, não fez água. Ela quebrou a parte de dentro, mas por fora o casco está perfeito!

O barco é super confortável, mesmo com mar e vento contra. 

Gostaríamos de agradecer ao Valter, Fábio Falcão, Thiony, Thomas, Jonathan, Nuno, ao Iate Clube de Vitória, Delga inox, Estaleiro Vareta e aos parentes. Todos fizeram o que puderam para nos ajudar. Obrigada a Todos!

Obrigada também a todos que nos enviaram e-mail, comentários e mensagens pelo Orkut, preocupados conosco, e até dos reclamaram por eu ter parado de postar. Mas eu precisava de descanso, tanto físico, quanto o mental. Apesar da minha escrita não ser lá essas coisas, os meus neurônios estavam cansadinhos....

Bjs a todos,

Guta

Comentários
2 Comentários

2 Comentários:

crocodilo disse...

Oi Guta e Fausto,

bom saber notícias de voces. Estava preocupado.
Faz parte.

Baleia e containners que caem dos navios são complicados. Todos nós estamos sujeitos a isto.

Legal a velocidade do barco, maneiríssimo.

Abraço,

paulo (du petit prince)

Antonio Jose Pereira Costa disse...

Ao passar por aqui desejo um bom fim de semana e tudo de bom.

António José.

Postar um comentário

Estamos viajando e não temos uma conecção a internet fixa a bordo.
Por esse motivo, certamente seu comentário demorará a ser postado, poderá não ser respondido, mas será lido.
Se ainda assim, quiser comentar fique a vontade!