sexta-feira, 20 de julho de 2012

Arraial do Cabo – São Tomé

Olá pessoal,

Estamos em Camamu/BA! Na verdade, agora, Fausto e o barco estão em Maraú, e eu Guta estou em Vitória na casa dos meus pais. Assim que chegamos em Barra Grande/ Camamu, arrumei minha mochila e vim de ônibus para Vitória porque tinha uma cirurgia marcada. Fausto ficou em Barra Grande, depois foi para Campinho e agora está em Marau, lá pega a TV (ele quer assistir as Olimpíadas né!), e principalmente o telefone celular para eu falar com ele. Estamos juntos há 10 anos e nunca ficamos mais de duas semanas separados. Dessa vez vou ficar um mês em Vitória entre cirurgia e recuperação. Engraçado é que, na primeira semana separados é um alívio (você já se imaginou 10 anos com seu parceiro o dia INTEIRO juntos?),  na segunda semana já começa a dar uma saudadezinha do Fausto, do Faísca do barco; E na terceira semana (a semana que estou agora), estou morrendo de saudades, dá uma agonia estranha, uma enorme vontade de voltar… Na quarta semana nei sei como estarei…

Demoramos a escrever no blog porque eu peguei um vírus pela internet, enquanto estava acessando um link dentro de um blog de velejadores (nem sabia que isso era possível). O computador ficou com a tela preta, e não havia mais nada nele. Chorei a noite toda, de raiva do tal blog e de mim mesma que estava para fazer um  backup dos meus dados há um tempão e sempre deixei para depois.

Aqui em Vitória, levei o computador para um primo que é fera em computadores e em 5 minutos ele recuperou todos os meus dados, foi um alívio! Agora estou colocando o blog em dia e fazendo o tal backup…

Segue abaixo o relato do Fausto sobre o trecho de Arraial do Cabo a São Tomé:

Nos três dias que ficamos esperando a frente entrar, choveu o tempo todo. A Guta no laptop monitorando a meteorologia e nos intervalos entrava em blogs. Eu, assistia aos jogos da Eurocopa e nos intervalos dava assistência ao barco. Tiramos a última previsão na sexta a noite e concluímos que partiríamos no dia seguinte as 6:00hs. Essa nova frente, apesar dos ventos fracos, nos levaria até Camamu. Em seguida fui dormir e a Guta continuou na internet. Acordei subitamente com um tranco que o Guruçá deu no cabresto da âncora, a frente acabara de entrar. Ao mesmo tempo a Guta estava chorando copiosamente, ela acabara de “contrair” um vírus pela internet que deletou todos os seus documentos e fotos que havia no computador.

No dia seguinte as 6:00hs dei partida nos motores, e , nada. Nossas baterias haviam arriado. Para nossa sorte o dia amanheceu aberto, ensolarado. Nossos painéis solares nos forneceram energia suficiente para ligarmos os motores, mas não tanto para usarmos o guincho elétrico. Ficamos com os motores ligados por uns 40’ e levantamos o ferro. Ficaríamos ainda no motor por mais uma hora para garantir uma reserva para as baterias caso o tempo voltasse a fechar.

O vento que na primeira noite estava entre 25 e 20 nós empopado cairá para 10 nós na segunda noite. Abrimos as genoas na proa e fomos embora devagarinho. Quando o vento rondou  para nossa alheta, abrimos o grande. Fizemos o percurso Arraial – São Tomé em 22hs com velocidade média de 4,6 nós.

As baterias “voltaram ao normal”, mas estão pela hora da morte. São baterias comuns/mais baratas de caminhão e até me surpreenderam durarem dois anos conosco.

P6220004Tava bom né capitão?!

 P6240015 Plataformas durante a noite. São tantas que até parece uma cidade em alto mar.

Até mais,

Comentários
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar:

Postar um comentário

Estamos viajando e não temos uma conecção a internet fixa a bordo.
Por esse motivo, certamente seu comentário demorará a ser postado, poderá não ser respondido, mas será lido.
Se ainda assim, quiser comentar fique a vontade!