sexta-feira, 14 de junho de 2013

Comentários técnicos: GRENADA–LOS TESTIGOS

O nosso maior interesse em ir até Grenada era de comprar uma antena wi-fi que tem um alcance maior que 8km. Ela é composta de dois elementos: um que fica no alto do mastro ou da targa e um outro que fica no interior do barco; O do interior recebe o sinal do exterior sem a necessidade de fios e transmite para vários notebooks ao mesmo tempo até a uma distância de 50m.

P5110035

P5110032

Durante aqueles  dias de espera,  preparamos o barco para a saída e  fizemos vários passeios pela ilha como já relatado aqui pela Guta. Assim que a antena chegou, nos abastecemos de alimentos frescos e partimos para Los Testigos/ Venezuela.

A distância entre Grenada e Los Testigos era de 90 milhas. A previsão era de vento nordeste com velocidade de 15 nós. Portanto velejaríamos com as duas genoas armadas em asa de pombo e mais uma vez deveríamos navegar durante à noite para chegarmos ao nosso destino de dia.  Levantamos ferro às 22:00  e seguimos no motor por pelo menos uma milha. O mar estava muito mexido. Assim que saímos e pegamos o vento limpo, ele era de 10 nós e vinha de leste. Neste caso, tínhamos que usar a grande e a genoa #1. Assim que a Guta terminou os preparativos, entrei no vento, botei no piloto automático e comecei a içar a grande. Antes de chegar no primeiro rizo, a adriça  se torceu e ficou travada no moitão lá no tope do mastro, pronto, a grande não subia nem descia. Botei o Guruçá no rumo e abri a G#1 rizada, cortei o seguimento dos motores e fique observando o que aconteceria. O Guruçá navegava a 5, 6 nós, mas com boa tendência para arribar e com muita deriva. Eu  estava com as bolinas em cima, com muita G#1 e com a grande muito solta. Abaixei 3/4 da bolina,  rizei mais a G#1. Com isso, acabou a deriva e diminuiu bastante a tendência a arribar. Agora eu precisava dar um jeito de tesar a valuma e a esteira da grande. Subi na retranca e amarrei um cabo no terminal da tala e o prendi no final da retranca e cassei. A valuma e a esteira ficaram armadas do tope até aquela tala,  dali para baixo ficou folgada mas a vela não tocava em nada, portanto , não sofreria nenhum desgaste. Com isso, o Guruçá ficou equilibrado e seguimos em frente.

Aproximadamente cinco horas depois o vento rondou para perto do leste e caiu para 8 nós.  Abri a G#2 e desenrolei a G#1 toda, o Guruçá agora, navegava com a G#1 e G#2 em asa de pombo e com um pedacinho da grande. Assim, manteve os seus 5,6 nós até demanhazinha quando chegamos em Testigos.

Los Testigos é formado por cinco ilhas: Isla Nordeste; Canejo; Iguana; Rajada e Morro Blanco. Canejo é a maior delas e é onde se concentra quase todas as atividades de lazer, não tem restaurantes, bar, mercado,…, apenas uma pequena e simples pousada, que também serve as refeições quase sempre à base de peixe. Iguana é a ilha onde fica a guarda- costeira e as casas para sua corporação. As outras ilhas são  pequenas e sem importância turística.

Assim que entramos à sotavento de Carejo veio ao nosso encontro uma lancha da guarda costeira. O responsável  por aquele destacamento disse-nos para irmos imediatamente para o seu escritório, que ficava na ilha Iguana, para conversarmos porque não lhe respondi os seus chamados  pelo rádio. Fundiei em frente do escritório e depois de tudo explicado, ele foi à bordo ajudar  a Guta a me levantar no mastro e nos deu uma semana de fundeio para reparos.

 P3270029

P3270032

P3270038O capitão dos Portos e sua namorada.

P3270017A base da capitania.

P3280183

P3280192

P3270092Trilhas de tartarugas.

Comentários
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar:

Postar um comentário

Estamos viajando e não temos uma conecção a internet fixa a bordo.
Por esse motivo, certamente seu comentário demorará a ser postado, poderá não ser respondido, mas será lido.
Se ainda assim, quiser comentar fique a vontade!