domingo, 30 de novembro de 2014

Dicas para conhecer a Polinésia Francesa pagando menos

A Polinésia é a realização de um sonho e vale MUITO, MUITO a pena conhecê-la.

“Poxa Guta, também é meu sonho, mas é um dos destinos mais caros do mundo…” (recebi vários comentários desse tipo). 

Realmente deve ser, se você for por uma agência de turismo, com todos os passeios incluídos etc.

Sol Primeira coisa é comprar a passagem aérea com MUITA antecedência. Os nossos tripulantes compraram passagens com três meses de antecedência e pagaram US$ 1800 ida e volta por pessoa via Chile. Passagens com embarque de madrugada e eles ainda tiveram sorte. Quanto mais cedo procurar melhor, aliás para qualquer destino de viagem, certo?! Raramente existem promoções aéreas para Papeete no Tahiti.

Sol Vocês chegarão na capital do Tahiti, Papeete. Para ir para outras ilhas pegarão voos domésticos da empresa Air Tahiti. Pelo que pesquisei, os preços desses voos variavam entre US$ 100 e US$ 300 ida e volta. 

Fiquem espertos com o peso das bagagens. A Air Tahiti só permite no máximo 10kg de bagagem por pessoa e cobram altíssimo pelo excesso. A grande verdade é que vocês não precisarão mais do que isso. Biquínis, cangas, roupas leves para caminhada, vestidos leves para jantares, bonés, óculos escuros, produtos de higiene, câmera fotográfica e só!

Fiquem atentos com a temporada de furacões que começa em novembro e vai até março, se encontrar passagens baratinhas demais pode observar que estará dentro da temporada de furacões. Têm que ser muito corajoso ou doido mesmo para viajar para qualquer destino na temporada de furacões. Não vale a pena colocar suas vidas em risco. 

Sol Os preços de hospedagem em toda Polinésia Francesa caíram de uns anos para cá, culpa da “crise financeira”  que afastou a maioria dos turistas europeus e principalmente por causa de furações que passaram e destruíram muita coisa em muitas ilhas. Em Bora Bora por exemplo, o hotel BORA que antigamente era sinônimo de ostentação está fechado, um dos que sofreram com furacões. Os preços variam pouco entre as ilhas e atóis. É claro que Bora Bora famosa em todo mundo custa mais caro mas Moorea que na minha opinião é muito mais bonita que Bora Bora ( só vendo para crer, ou tirar da cabeça toda propaganda de Bora Bora), têm catamarãs lanchas que saem diariamente da capital Papeete com somente 1 hora de viagem. Uma economia de até o equivalente a US$ 150 indo de avião.

Em Moorea conhecemos várias pousadas com bungalows de frente para praia deslumbrantes com preços de 100 euros a diária para um casal.  Existem muitas opções de hospedagem em casas de família também, com preços mais em conta ainda. É claro que ficar em um bungalow de frente para praia têm seu charme mas quem não liga para isso, ficar em uma casa de família é uma ótima opção. Se um dia eu voltasse a Polinésia eu ficaria em casa de família, motivos: É mais barato; Tudo perto, as casas de família são de um lado da rua, se atravessarmos já estamos na praia; Batemos perna o dia todo, pousada mesmo só para dormir; Os Polinésios são muito legais, ficar em uma casa de família e conhecer essa família é uma experiência que os hotéis não oferecem. Também encontramos camping em Moorea!

IMG_0152

É claro que opções caras é o que não falta. O hotel mais caro que perguntamos o preço  em Moorea  têm um nome principal (que não me lembro) mas é mais conhecido como o “hotel dos golfinhos” porque como o nome já diz, têm uns golfinhos para você nadar, tirar fotos etc. Lá a diária mais barata custava 500 euros. O bungalows nos motus (um pedaço de um atol, geralmente em lugares isolados) com piso de vidro transparente também são caríssimos.

IMG_8523

Sol Um prato bem servido de filé com fritas e salada custava o equivalente a R$ 25. É muito comum ver as pessoas comendo sandubas nas praias. Vão ao mercado, compram os ingredientes e os preparam. Nos mercados também têm opções de quentinhas, quiches deliciosas, cachorros quentes, salgadinhos tipo pastel. Dá para comer bem e barato. Nos hotéis e pousadas, também têm opções mais em conta. Se você quiser experimentar um típico jantar francês a luz de velas com entrada, prato principal e sobremesa vai desembolsar a partir de US$ 70 por pessoa.

20140616_173412

Sol Com relação a passeios  não posso dizer porque não fizemos nenhum passeio pago. Aliás muitos passeios pagos podem ser feitos de graça. Subir o morro de Bora Bora e ter aquela vista deslumbrante é de graça. Só treine antes de ir para lá, porque a subida é para os fortes. 

Fausto caminhou toda ilha de Bora Bora (32km) mas a maioria da galera dá a volta na ilha de bicicleta ou lambreta. Muito melhor do que alugar um carro na minha opinião.  Eu peguei muita carona em todas as ilhas e atóis. No atol de Fakarava, as pessoas paravam os carros perguntando se queríamos carona. Em Bora Bora, foi onde tive mais dificuldades ou seja demorei mais tempo para conseguir carona, mas nunca passou de 10’.  Quem dá carona são os locais e Bora Bora com muitos turistas, dificultou um pouco (fui mimada nas outras ilhas).  O legal de pegar carona com os locais é que eles gostam de conversar e sempre nos deram dicas ótimas. Não se acanhem, é só colocar o dedão e o carão. Não posso por a mão no fogo por ninguém porque doido existe em tudo quanto é lugar,  mas tô para conhecer lugares mais tranquilos do que aquelas ilhas. Você se sente livre leve e solto. Não existe aquela tensão de ser assaltado etc, enfim, coisas ruins que acontecem todos os dias nas cidades. Não senti nenhuma preocupação com relação a isso.

20140721_161003-1-1

20140721_190232Estrada em Bora Bora- Caminhadas tranquilas e vista sempre maravilhosa.

Vá para a igreja! Falando sério! Todos vão a igreja arrumadinhos. As mais jovens com seus cabelos trançados e com flores, as mais velhas com chapéus de palha e flores. Os cânticos são lindíssimos, hora dá vontade de dançar, hora dá vontade de dormir! Um programa diferente e bem legal.

Ilha com palmeira O sol é fundamental, mas isso é questão de sorte né?! Aquela cor linda e maravilhosa de água só é possível em dias de sol. Dizem que os melhores meses para visitar a Polinésia é de abril até novembro.                                   .  Nós chegamos e só pegamos tempo bom. Somente em Maupiti, a última ilha que ficamos, é que pegamos duas semanas de chuva, mas os poucos dias de sol compensaram.

Ilha com palmeira Nos meses de junho e julho acontece o HEIVA, que na língua local significa FESTIVAL. São competições de esportes locais,  regatas de canoas Polinésias e principalmente concursos de dança Polinésia que são lindíssimas. Geralmente essas apresentações são acompanhadas por uma bateria e um coral eu nunca havia visto nada igual. Em praticamente todas as ilhas e atóis nessa época estão acontecendo o HEIVA. Nós tivemos a sorte de assistir uma competição de canoas polinésia em Moorea e final de uma competição de dança em Bora Bora, ambas em julho.  Mesmo que você vá em algum outro mês não se preocupe. Em qualquer hotel e restaurantes há apresentações de dança com grupos menores e não menos bonito.

Ilha com palmeira Existem praias públicas e particulares mas que na verdade não são particulares. Complicou mas vou explicar: Algumas praias ficam dentro de hotéis ou pousadas mas todos têm servidão, ou seja, você pode passar por dentro do hotel ou pousada e curtir a praia. Nesses casos, eles chamam a praia de particular.  Em Moorea alugamos um carro de uma brasileira,  a Sandra que mora na ilha há anos e nos cobrou a metade do preço normal, que é de  US$ 100 e ela ainda foi de guia turística, uma figura! Acabamos conhecendo os principais hotéis e pousadas de Moorea. Todos são abertos ao público. Foi um passeio bem legal.

Ilha com palmeira Engana-se quem acha que as ilhas da Polinésia são somente destino de Lua de mel, muito pelo contrário!  Vi muita cena de comercial de margarina: A esposa tomando sol, o marido lendo um livro e as crianças na beira da água brincando, todos  na santa paz e tranquilidade. Não têm som alto, não têm farofada, não têm tumulto.

Ilha com palmeira Observei durante toda a nossa estadia por lá, que grande parte das pessoas economizavam. Todo mundo a caça de internet de graça, muita gente caminhando, comprando comida e bebidas em supermercados. Pessoas vestidas com simplicidade. Nada de ostentação, nada de gente metida a besta. A maioria das pessoas tinham cara do tipo: Ralei muito pra chegar aqui! Vocês me entendem?

Quando eu postava fotos por onde passávamos nessas ilhas, recebi vários “comentários lamentações”: É o meu sonho, mas é tão caro! Tenho certeza que a maioria delas nunca pesquisou nada a respeito. Conheço uma mulherada que gasta 300 paus em um sapato da nova coleção da AREZZO ( e são várias coleções durante o ano) sem pestanejar mas para viajar, sempre tudo é caro.

Você é um dos que sonham com a Polinésia Francesa? Comece desde já a procurar informações no google. Que tal começar a colocar o sonho em prática? Quando começamos a organizar um roteiro, pesquisar preços, ler informações, ver fotos e assistir a vídeos já estamos viajando.

Espero ter conseguido deixá-los tentadíssimos! hehehe

Uma má notícia: Passar dez, quinze dias em qualquer ilha da Polinésia é pouco. Nós ficamos três meses e estamos sofrendo de DPPF – Depressão Pós Polinésia Francesa.  Uma saudade que dói! Smiley piscando

Comentários
1 Comentários

1 Comentário:

Luiz e Mauriane disse...

Valeu Guta! Muito dez o post! Abraços, bons ventos e bons mares sempre!

Postar um comentário

Estamos viajando e não temos uma conecção a internet fixa a bordo.
Por esse motivo, certamente seu comentário demorará a ser postado, poderá não ser respondido, mas será lido.
Se ainda assim, quiser comentar fique a vontade!