domingo, 15 de novembro de 2015

Travessia do canal de Singapura

Para variar, esqueci de um detalhe no post anterior. Quando ligamos nossos charterplotters em Bali exatamente na hora de levantar âncora, eles não funcionaram. Aparentemente a antena do GPS estava em curto. Essa já era a segunda antena que instalávamos. Estávamos sem nossa rota e sem os nossos dois charterploters interfaceados, que fazem uso da mesma antena. Como em Bali é difícil encontrar equipamentos desse tipo para comprar, decidimos seguir viagem usando somente o GPS do IPAD usando o programa  Naviocics e o programa Open CPN no computador com uma antena de GPS acoplado como backup. No meio do caminho o computador deu pau também, e ficamos roendo as unhas até chegarmos no nosso destino final na Malásia, passando por Singapura. Durante a volta ao mundo aprendemos que tem um não tem nenhum, quem têm dois, têm um só. Nesse caso tínhamos quatro e chegamos somente com um funcionando. Meio confuso mesmo hehehe

Fizemos uma viagem tranquila com relação a condições climáticas, sem vento  e mar feito uma lagoa (motores ligados o tempo todo), mas foram umas 900 milhas com  trânsito de navios e barcos de pesca intenso. Fizemos turnos de vigia em tempo integral e isso nos cansou bastante. Então, jogamos âncora ainda do lado da Indonésia e descansamos por dois dias. O tempo estava brumoso e aproveitamos para observar como funcionava o canal. Quando ouvimos falar de travessia do Canal do Panamá, canal de Singapura, de tanto colocarem dificuldades, acabamos  criamos um bicho de sete cabeças e felizmente foi super fácil.

Não ficamos em Singapura por questões $$$$. Expliquei no vídeo que fiz da travessia. É só clicar AQUI. Ainda bem que fiz esse vídeo porque já esqueci quase tudo. Deixo para escrever os posts quando dá, acreditem em mim, falta tempo para escrever e a minha memória tá precisando de umas vitaminas. A velhice batendo a porta hehehehe

Algumas fotos da travessia que foi massa ô:

IMG_0599A distância  que estávamos fundeados de Singapura.

IMG_0577Com a entrada de pirajás quase não se via nada!

20150331_111512Finado Faísca devidamente preso. Imaginem se ele caísse no mar na travessia do canal? E quando ele via um navio ficava louco!

IMG_0607Cartão postal de Singapura vista do mar. Privilégio!

Atravessando uma ponte que liga a Malásia a Singapura. Tinha 25 metros no vão principal e o nosso mastro 22 metros. Travessamos na maré baixa com uma corrente do cão. Vai que fizeram a ponte mais baixa ou nós construímos o mastro mais alto hehehehe

IMG_0647

IMG_0651

IMG_0650

Ainda bem que passamos por Singapura durante o dia. Haviam vários lugares sendo aterrados e claro, não havia essa informação no NAVIONICS, o programa de navegação que estamos usando no Ipad, na verdade, acho que não tem essa informação em programa algum. Mesmo de dia, entramos em um labirinto no meio do mar. Mais de duas milhas depois chegamos em um aterro e tivemos que dar uma volta gigantesca.

IMG_0615

IMG_0634

Aliás Singapura está aterrando mas têm um limite, a ilha não terá para onde crescer ao contrário da Malásia que também está aterrando quase toda a sua costa oeste. Outro perigo porque onde constam praias no programa de navegação, hoje é só areia sabe-se lá quanto avançado ao mar,com muitos navios de dragagem. Navegar a noite perto da costa da Malásia nem pensar.

IMG_0638 

IMG_0639Navios horríveis por sinal.

IMG_0641O lado de Singapura era cercado com cerca elétrica e havia lanchas que faziam patrulha 24h por dia.

IMG_0653

Não fiz muitas fotos. Quem assistiu o vídeo viu o perrengue que foi com os atentados dos pirajás atrapalhando a nossa navegação. Fundeamos pelo lado da Malásia em frente a um condomínio chamado Danga Bay e apagamos.

Até logo.

Comentários
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar:

Postar um comentário

Estamos viajando e não temos uma conecção a internet fixa a bordo.
Por esse motivo, certamente seu comentário demorará a ser postado, poderá não ser respondido, mas será lido.
Se ainda assim, quiser comentar fique a vontade!